ENTREVISTA COMPLETA TRADUZIDA: Miley Cyrus para Variety
PUBLICADO POR Leonardo Castro EM 17/10
rect4174

Miley Cyrus deu uma entrevista para a revista estadunidense Variety e ainda foi capa de uma das edições da mesma. Ela falou sobre alguns temas dados pela entrevistadora e respondeu a algumas perguntas. Contou um pouco sobre como está sendo o The Voice, falou sobre sua relação com Woody Allen, lembrou seu primeiro relacionamento na vida (Foi com uma menina) e de como ela era confusa até descobrir que era Pansexual. Miley ainda mostrou aquele apoio político a Hillary Clinton e Bernie Sanders. Leia a entrevista completa e traduzida:

Você recentemente apresentou o Ellen DeGeneres’ Talk Show.

Eu tive que introduzir Sarah Jessica Parker, e ela me perguntou se eu tenho algum amigo que votará no Donald Trump. Eu fiquei tipo: “Você acha que eu tenho amigos que votariam no Donald Trump. Para, né! Com quem você acha que eu passo meu tempo? ”

O País está muito dividido

Isto não é uma piada. Mas acho que algo acontece com as Kardashians e o Trump. As kardashians são melhores que o Trump, porque elas não estão tentando comandar o país. Elas estão apenas tentando ser famosas, e não há mal nisso. Nós estamos obcecados com celebridades. Quando Trump começou isso, eu estava rindo. Eu achava que isso não iria para lugar nenhum, que não tinha jeito dele se candidatar.

Você sempre foi uma apoiadora de Hillary Clinton?

Eu era uma grande apoiadora do Bernie.

O que você diria para os apoiadores de Bernie que não votarão em Hillary?

Isto é estupidamente louco e você está viajando. Isto está literalmente me irritando mais do que qualquer coisa. Se você alguma vez considerou votar no Donald Trump, você nunca entendeu o que Bernie disse, em primeiro lugar.

De onde é que seu senso de ativismo vem?

Eu acho que eu me senti estúpida. Eu senti como se o que eu estava fazendo não tivesse valor, porque estar sendo uma estrela pop era realmente bobo quando há pessoas passando fome. Em 2013, quando eu fiz minha performance no VMAs, se tornou a maior história do mundo. Eu nunca esperei que isso acontecesse. Eu só fiz minha coisa toda. Eu saí vestida de ursinho e dancei com ursinhos, nunca pensei que o mundo inteiro veria aquilo como algo ruim.

Esta experiência fez você se sentir mal consigo mesma?

Isso fez eu me sentir como se eu estivesse vivendo uma vida boba – Como se eu apenas tivesse que escolher outra profissão. Eu não entendia meu poder naquele tempo. As pessoas me escutam pelo que eu sou, então ao invés de eu ficar embaraçada, eu deveria dizer: “Foda-se, eu tenho o microfone. ”

Quando você se tornou envolvida com a comunidade LGBTQ?

Minha vida inteira, eu não entendi meu próprio gênero e minha sexualidade. Eu sempre odiei a palavra “Bissexual”, porque isso estaria me colocando dentro de uma caixa. Eu nunca pensei sobre alguém sendo um garoto ou uma garota. Também, meus mamilos nunca foram algo sexualizados para mim. Meus olhos começaram a abrir na quinta ou sexta série quando tive meu primeiro relacionamento que foi com uma menina. Eu cresci em uma família muito religiosa, mas o universo sempre tem me dado o poder de saber que eu ficarei bem, Até mesmo naquele tempo, quando meus pais não entendiam, eu só sentia que um dia eles iriam entender.

Você falou com eles sobre como você se sentiu?

Sim. Minha mãe é como uma perua rockeira dos anos 80 – Cabelos loiros compridos, peitos grande. Ela ama ser uma garota. Eu nunca me senti assim. Eu conheço algumas meninas que adoram ter as unhas feitas, eu odeio isso. Minhas unhas são umas bostas. Eu não faço minhas sobrancelhas. Nunca me identifiquei com aquele amor de ser uma menina. E então, ser um menino também não parecia divertido para mim. Eu acho que o alfabeto LGBTQ deveria continuar para sempre. Mas tem um “P” que deveria estar ali, para “Pansexual. ”

Quando você se identificou pela primeira vez como pansexual?     

Eu acho que quando eu descobri o que era. Eu fui para um centro LGBTQ aqui em Los Angeles, e eu comecei a ouvir aquelas histórias. Eu vi um humano em particular que não se identificava como masculino e feminino. Olhando para ele, ele era os dois: Bonito e sexy e parecia vulnerável e feminino, mas masculino. E eu me identifiquei com aquela pessoa mais do que me identifiquei com qualquer um em toda minha vida. Mesmo que eu pareça diferente, as pessoas não me veem como uma pessoa tão neutra quanto eu me sinto. Mas eu me sinto muito neutra. Eu acho que aquela era a primeira vez que eu conheci alguém neutro de gênero. Uma vez que eu entendi mais sobre meu gênero, eu pude entender mais sobre minha sexualidade. Eu estava tipo, “Oh – Era por isso que eu nunca me senti hétero ou gay. É porque eu não sou. ”

Por que você acha que ainda existe desigualdade para as mulheres em Hollywood?

Muito disso poderia ser mudado se tivéssemos uma presidente mulher. Isto nos daria subconscientemente um impulso. Eu acho que as pessoas terão que perceber que elas estão parecendo muito ultrapassadas. Por exemplo, tem um show chamado “Supergirl” (“Super–Menina”). Eu acho que tendo um show com um gênero anexado, é esquisito. Primeiro, é uma mulher naquela porra de outdoor – Não é uma menininha. Segundo, e se você é um menininho que quer muito ser uma menina, isto não faria você se sentir mal? Eu acho que tendo um título como “Supergirl” não dá o poder que as pessoas acham que dá.

De onde todo esse poder vem?

Meu empoderamento vem do fato de que eu sinto que tenho um propósito agora. Eu não queria a letra de “Wrecking Ball” escrita em minha lápide. Eu queria algo melhor. Eu sou a única porra de estrela da Disney que diria “ Eu sou a favor das lésbicas e gays”, antes de se poder dizer isto.

Você se meteu em problemas por causa disso?        

Não, porque muitos caras que trabalham na Disney são gays, então eles se alegravam de ter alguém ao lado deles.

Você é uma mentora no “The Voice.” Você acha que fará mais temporadas?

Eu não sei. Eu definitivamente gostaria se isso fizesse sentido. Eu ainda não fiz o programa ao vivo. Eu quero sentir como é. Eles devem sentir muito mais pressão.

Você não gosta de TV ao vivo?

Eu não me importo com a TV ao vivo tanto quanto eu me importo com os americanos votando nas competições do “The Voice” sendo que eles votaram no Donald Trump para ser candidato. Eu atualmente disse para minha equipe que eles podem ser o Bernie Sanders do “The Voice.”

Com que frequência você chora no programa?              

Quando eu tenho que mandar eles embora do programa. É um pesadelo. Para uma pessoa não gosta de confrontos, é o pior show.

Como você foi convidada para participar do elenco da séria de TV do Woody Allen? Você era fã do trabalho dele?

Eu sou. Eu tive que me mudar, e a única coisa que eu trouxe para minha casa foi uma foto de Woody Allen. Estava dormindo pela primeira vez na minha casa nova e meu empresário me ligou e disse: “Woody quer que você voe para Nova Iorque. ” Eu amei trabalhar com Woody. Você faz só umas duas tentativas de uma cena. Ele só quer ir embora para casa e ter um jantar com sua esposa. Uma noite era 17:30, e o câmera queria fazer outra tentativa de uma cena, ele disse: “Eu não posso dedicar minha vida inteira para fazer filmes. ”

Muitas pessoas agora estão levantando uma conversa sobre se é possível separar a arte do artista. Você estava ciente das alegações de abuso sexual feita por Dylan Farrow contra seu pai, e se sim, isso não te fez interromper o trabalho com ele?

Eu vivo uma vida similar à do Woody Allen – Uma vida pública. Até eu conhecer alguém e conhecer sua história, eu realmente nunca julgo ninguém. Foi assim que eu fui para ele. No momento em que eu vi ele com sua família, eu não vi ele sendo nada além do que uma pessoa incrível e um ótimo pai, as pessoas podem me bater por estar dizendo isto. Eu tenho certeza que foi um tempo difícil para aquela família. Minha família tem passado por coisas difíceis, e eu acho que o sofrimento de cada um é diferente.

O que seus pais acham sobre seu trabalho atual?

No “The Voice,” esta jovem menina começou a chorar quando ela teve que ir embora do programa, porque eu sou a razão para ela ter saído do armário. Minha mãe começou a chorar. Ela estava tipo, “Eu sinto muito sobre o jeito que eu era quando você tinha aquela idade e saiu do armário. ” Ela nunca entendeu até ela ver aquela garota que não podia ser ela mesma. Foi muito legal.

Fonte e Tradução | Equipe MileyBR.com

Compartilhe esta novidade: